O que os profissionais do Direito não podem fazer quando o assunto é publicidade ?

 

Como muitas outras profissões liberais no Brasil a advocacia sofre com algumas restrições impostas pelo Código de Ética quando o assunto é publicidade ou marketing. Por isso, vamos começar nosso artigo falando um pouco sobre o que os advogados não podem fazer na hora de divulgar seu trabalho ou seu escritório. Depois vou sugerir algumas alternativas de como trabalhar o marketing digital da melhor forma. Vamos lá?

 

Vedada a divulgação em conjunto com outra atividade

 

O art. 28 do Código de Ética e Disciplina da OAB regulamenta que o advogado não pode anunciar seu trabalho em conjunto com outra atividade. Do ponto de vista mercadológico isso não é, necessariamente, uma limitação, na verdade é até muito bom. Pois, além de inconveniente, anunciar duas atividades no mesmo canal atrapalha muito na mensuração dos resultados de marketing. Um trabalho de marketing bem feito é aquele que atende uma demanda específica e que tem um público-alvo muito bem definido. Em comunicação, o público-alvo vem antes de qualquer coisa. Se você quiser comunicar dois serviços distintos, certamente, terá dois públicos distintos, portanto, o melhor é usar canais diferentes para cada atividade. Algo que ajuda muito na hora de conceber ações de marketing é criar o que chamamos de “personas”. De forma simplificada “persona” é o perfil do seu público ideal. Pergunte a si mesmo: quem eu quero atender? E, desenhe o perfil desse indivíduo. Então, terá o seu público-alvo.

 

Vedada a veiculação em rádio e televisão

 

De acordo com o Art 29 do Código de Ética da OAB os profissionais do Direito não podem anunciar na televisão e no rádio. Se convidados para esse tipo de veículo comunicacional devem adotar uma postura educativa e não usar o meio para se autopromoverem. Isso parece limitador, no entanto, deixar de anunciar em mídias de massa representa uma oportunidade de investir em outros meios que podem atender de forma bem mais específica e direta o cliente potencial. Nesse contexto, a internet torna-se um grande leque de possibilidades. O marketing digital e o marketing de conteúdo, por exemplo, tornam-se essenciais para um bom posicionamento de marca do advogado. Você pode saber mais sobre isso clicando aqui! (texto sobre inbound marketing)

 

Vedada a utilização de outdoor ou equivalente

 

O outdoor também foi barrado pelo Código de Ética. Por outro lado, as redes sociais estão abertas, desde que o profissional não utilize de um discurso que viole os princípios discriminados pela profissão. De acordo com o Art. 33 do Código de Ética o advogado deverá abster-se de:

I – responder com habitualidade consulta sobre matéria jurídica, nos meios de comunicação social, com intuito de promover-se profissionalmente;

II – debater, em qualquer veículo de divulgação, causa sob seu patrocínio ou patrocínio de colega;

III – abordar tema de modo a comprometer a dignidade da profissão e da instituição que o congrega;

IV – divulgar ou deixar que seja divulgada a lista de clientes e demandas;

V – insinuar-se para reportagens e declarações públicas.

Contudo, o advogado fica livre para utilizar-se das redes sociais para divulgar conteúdos relacionados à área, indexar endereço de seu escritório, divulgar artigos de sua autoria e afins, e inclusive divulgar o próprio site institucional.

 

O que os advogados podem fazer para melhorar seu marketing digital?

 

Ao ler o termo Marketing Digital você logo imagina que essa é uma maneira inovadora de fazer marketing. Mas, a verdade é que não é tanto assim. Marketing continua sendo marketing, a diferença é que passa a ser feito na esfera digital. Vou apresentar 4 passos para você iniciar o seu trabalho com marketing digital.